quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Vida

Uma grande amiga me disse de forma tão convincente: "você precisa voltar a escrever" que fiquei com essa quase ordem martelando meus pensamentos, fazendo acontecer uma explosão de palavras e ideias que poderiam compor um novo texto para este espaço.
O tema não foi o que me trouxe aqui, mas sim as palavras que rodopiaram e foram se acomodando ordenadamente ou não pelas frases e parágrafos que formam o conjunto final. Pensei em usar a palavra "descobrir" e como ela possibilita viajar por uma série de situações que vem compondo meus dias atuais.
Imediatamente lembro da instabilidade do tempo, desse inverno caloroso que nos deixa parados em frente ao guarda roupa imaginando a vestimenta ideal para sairmos de casa. Dentro das opções de temperatura, o frio que me faz recorrer ao meu edredom que passa uma noite inteira alternando sua função, entre o aquecimento e o abandono por não ser mais necessário. É assim mesmo a minha noite, vou me cobrindo e descobrindo num exercício noturno que se confunde com a minha própria vida.
Uma vida cheia de momentos em que preciso me proteger daquilo que não me agrada, me deixa inquieta ou mesmo infeliz, nessas horas me cubro através de atitudes proativas ou de simples inércia, aguardando meu cobertor divino que me traz conforto e segurança. Já, em outras ocasiões o calor da vida me obriga a jogar para o lado a coberta protetora, me descobrindo nas diferentes reações que constroem em mim um novo perfil, um novo lado antes desconhecido e hoje possível. Numa dança invisível vou percorrendo os salões da vida com movimentos frenéticos e lentos, de acordo com a música.
Acho que já misturei os assuntos ou não. Temperatura, música, dança, descobrir são palavras que apareceram na minha mente no momento da necessidade de estar neste espaço novamente, dividindo com vocês minhas emoções. Emoções que me fortalecem e constroem um amadurecimento ainda permitido, apesar da idade descobri que ainda possa amadurecer. Melhor que isso, posso optar entre coisas e caminhos, posso decidir meu destino, meu agora, sentir meu frio ou calor de acordo com a minha sensibilidade e não do senso comum. Posso utilizar o edredom na hora que bem entender, isso não vai alterar de forma negativa a vida dos que comigo convivem. Eu vou estar bem e isso vai me ajudar a fazer bem aos outros, não ser a pessoa de mal com a vida. Estar me descobrindo, olhando para o céu a procura de nuvens e ventos que possam alterar as temperaturas, e se isso acontecer entender que isso também faz parte da vida. Vida que tanto amo. Acho que essa palavra foi a mais presente no texto de hoje: vida!  Dançou entre as frases e costurou os pensamentos. Provando a sua força e sutil leveza, sendo o meu tema preferido!

5 comentários:

  1. Muito bom tia!!! Adorei!!
    Bjs Carol

    ResponderExcluir
  2. Lindo minha amiga querida! Em cada palavra, em cada linha vejo você falando, sua energia está em cada parágrafo. Parabéns pela iniciativa e nosso incentivo total para novos textos....semanais???? Rsrsrs seria ótimo

    ResponderExcluir
  3. Parabéns minha querida amiga!!!
    Sentimos sua energia em cada palavra. Quase consigo ver vc falando....até o próximo texto....semanal?? Tarde seria ótimo

    ResponderExcluir
  4. Parabéns minha querida amiga!!!
    Sentimos sua energia em cada palavra. Quase consigo ver vc falando....até o próximo texto....semanal?? Tarde seria ótimo

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo!
    Realmente estava fazendo falta seus textos.
    Como já disse: você é minha inspiração.
    Bjs

    ResponderExcluir